Mariana ♥ Renato [Detalhes e Emoções]

29 out 2016

Um casamento para se encantar, rir, chorar, admirar, suspirar, tudo isso só vendo as fotos! Uma atmosfera de alegria contagiante, com muita emoção e pitadas generosas de originalidade (do jeitinho que a gente ama). Que vontade de estar lá!

casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-41

“Renato morava em Jaboticabal e eu em Ribeirão Preto, ele era amigo de uma grande amiga minha de Jaboticabal, mas nunca nos conhecemos, até ingressarmos na faculdade de Design (Unesp – Bauru) em fevereiro de 2005. Sentamos lado a lado durante o processo de matrícula e lembro de comentar com a minha amiga “conheci um cara super gatinho na matrícula, e ele é de Jaboticabal…”. Ficamos amigos, descobrimos que morávamos no mesmo condomínio… trocamos MSN e rolava muito ‘xaveco’ online. Quando começaram as aulas combinamos de nos encontrar em uma festa no Campus, a ideia era finalmente ficar com o gatinho da matrícula, mas nos desencontramos, ele ficou sem bateria no celular e naquela noite não nos vimos nenhuma vez. Pouco tempo depois disso, comecei a namorar um outro rapaz da minha cidade natal e eu e Renato nos afastamos. Muita água rolou por baixo dessa ponte, até que em meados de 2006 eu fiquei solteira novamente e voltamos a nos xavecar via MSN, começamos a sair em agosto daquele ano, mas acabamos não levando adiante, queríamos curtir o InterUnesp (jogos universitários) solteiros!
Mantivemos contato online, saímos algumas vezes juntos, ficávamos, mas nada sério… eu ainda estava de luto pelo fim do namoro anterior. Nossa relação se estreitou durante as férias de verão 2006/2007 e em fevereiro ele veio de Jaboticabal para Ribeirão só para me dizer que queria ficar comigo, que eu era a mulher que ele queria… <3
Foi assustador, em meio ao turbilhão que eu vivia, vem esse cara tão gatinho, tão especial e querendo me encher de carinho… não estava acostumada a ser amada… Segui com cautela… disse primeiro que não, depois que talvez e fomos ficando, ficando… até que virou namoro.
Eu achava que o namoro não ia durar, tinha medo de me comprometer novamente e sofrer, mas aos poucos ele foi fazendo cada vez mais parte da minha vida e quando percebi eu estava apaixonada novamente, feliz e vivendo finalmente uma relação que me fazia bem demais! Como éramos vizinhos, era difícil dormirmos separados, mas também era difícil admitir para nossas famílias, tão tradicionais, que estávamos vivendo juntos, sem estarmos casados.  
Muitas pessoas nos questionaram sobre o porque de casar com festa e papel passado depois de tanto tempo morando juntos, mas para nós que tínhamos exemplos tão fortes de casamento e família, era muito importante o simbolismo do matrimônio, era importante viver esse ritual. E esse ritual, planejado por 2 designers, tinha que ser uma vivência até o último detalhe.

casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-1 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-3 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-5 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-7 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-9 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-11 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-13 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-37

O Casamento

Começamos o planejamento de nosso casamento, e tudo teria que fazer sentido, ser personalizado, ter a nossa essência e a nossa alma impressa… projetamos o nosso casamento como aprendemos na faculdade a projetar qualquer coisa: para que a experiência do usuário fosse real e inesquecível. O Renato já trabalhando com o desenvolvimento de serviços em gastronomia, as chamadas vivências gastronômicas, desenhou junto com seus sócios o serviço e o cardápio do casamento e para executar, ao invés de um buffet tradicional, convidamos 2 amigas de longa data para chefiar a cozinha e o serviço de salão. Para o serviço previmos quatro ilhas de acepipes espalhadas pelo salão, de maneira que não houve fila em nenhum momento da festa. Servimos o jantar empratado, com duas opções de prato (massa fresca ao molho de cogumelos e couscous marroquino com pernil desfiado e chutney de acerola). Todo o cardápio foi projetado para contar nossa história e também homenagear a união de nossos pais: tivemos o torremos que comíamos nos botecos da faculdade; a batatinha curtida no tempero (tradicional dos casamentos simples de antigamente); salgadinho (como foi a celebração simples do casamento dos meus pais); canapés finos que remeteram à profissão de chef do Renato; embutidos artesanais típicos do sul que lembram a nossa história em Curitiba (atual cidade), e por aí vai.

Para as bebidas optamos pelo chopp artesanal das cervejarias Invicta e DUM, uma de Ribeirão e a outra de Curitiba, e o vinho moscatel e o espumante extra brut da Vinícola Franco Italiano, da região de Curitiba, valorizando assim os pequenos produtores, o comércio local e a ideia de consumo consciente.
A decoração foi toda projetada por mim, criei o layout do salão, conversei detalhe a detalhe com o decorador sobre cada mínimo elemento que queríamos usar, criando uma decoração simples, que remetia a nossas raízes e muito delicada e romântica. Fizemos a mão os porta-guardanapos, presentes dos padrinhos, vasinhos que decoravam as mesas de convidados. Para a mesa do bolo optamos por quatro naked cakes com frutas vermelhas, recheados com geleia da colônia alemã de Witmarsum (região de Curitiba). Ter quatro bolos ao invés de um bolo de quatro andares foi legal, porque nos ajudou a preencher a mesa e também pudemos ter um bolo mais molhadinho, sem risco de que ele desmontasse.

Mas o maior e mais importante projeto, foi a cerimônia. Renato e eu somos duas pessoas bem intensas, para nós é importante que as coisas tenham sentido, que o sentimento seja real, que cada palavra seja verdadeira e por isso foi difícil escolher um modelo de cerimônia, afinal nenhum de nós dois segue uma religião, apesar de ambos sermos espiritualistas. Não fazia sentido fazer promessas nos moldes católicos (religião de nossas famílias) e também não fazia sentido ter um desconhecido que cobraria uma grana alta para dizer palavras que não nos tocariam na alma (juiz de paz). Nem preciso dizer como foi difícil lidar com a insegurança de nossos pais, a cada decisão fora da casinha, cada detalhe fora do tradicional, cada invenção de moda…. hahahahaha… Mas seguimos firmes em nosso projeto de ter um casamento que jamais esqueceríamos e de celebrar nossa união dentro do que nos era verdadeiro. Convidamos o Victor, meu grande amigo desde a adolescência, para ser o celebrante em nossa cerimônia, ele que acompanhou nosso relacionamento desde o início, teria todo o ‘knowhow’ para falar de nós e do nosso amor. Escolhemos a dedos os padrinhos: nossos irmãos e primos, melhores amigos de uma vida inteira, presentes ao nosso lado no altar. Pedimos aos nossos pais que fizessem a ‘benção’ de nossas alianças e a nossas avós que fossem nossas damas de honra (não consigo pensar que possa haver melhores pessoas para representarem ‘damas de honra’). Escolhemos a dedo cada música da entrada de cada um deles, músicas com significados profundos, melodia, todas brasileiras, como nós. E escrevemos nossos votos, pois acreditamos que o compromisso do matrimônio deve ser feito pelos noivos, com suas palavras e sentimentos. Foi muito emocionante, eu nem podia imaginar que seria tanto. Não a toa estamos chorando na maioria das fotos, mas chorávamos de uma emoção boa, por sentir que tínhamos ali algo que não se encontra em qualquer lugar, algo que merece ser celebrado e guardado com muito carinho dentro de nós. Foi muito legal ver todos os convidados também tomados por essa nossa emoção, ver os marmanjos chorando junto com as senhorinhas, ver as pessoas participando e se deixando levar por essa emoção nossa. Atingimos nosso objetivo de, ao menos naquele dia, espalhar o amor no coração de outras pessoas.

casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-15 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-17 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-19 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-21 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-23 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-25 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-27 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-29 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-31 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-33 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-35 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-39 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-41 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-43 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-45 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-47 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-49 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-51 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-53 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-55 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-57 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-59 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-61 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-63 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-65 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-67 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-69 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-71 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-73 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-75 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-77 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-79 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-81 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-83 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-85 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-87 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-89 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-93 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-95 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-97 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-99 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-101 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-103 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-105 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-107 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-111 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-115 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-117 casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-119

casamento-diurno-de_dia-ribeirao_preto-91

Fomos abençoados na escolha dos profissionais que nos acompanharam nessa trajetória, saímos dos casamentos pré-fabricados e mergulhamos em um casamento bem trabalhoso, onde contamos muito com a ajuda de outras pessoas para fazer nossas loucuras funcionarem, mas no final cada noite mal dormida valeu a pena, pois criamos uma atmosfera de amor e cuidado em um evento do qual nunca nos esqueceremos.”

Ficha Técnica

Fotografia: Renaclo Filho e Mana Gollo
Cerimonial: Heloísa Brandalia Cerimonial
Bolo: Estupendos Bolos
Doces: Panificadora Flor do Trigo (16) 3966-3090
Decoração: Silvio Di Belém
Projeto de cenografia e layout: CTRL arquitetura e design
Espaço, estrutura e mobiliário: Villa Campesina
Buffet: Rosângela e Marília (16) 99224-7211
Chef de Cozinha: Emiliana Barbieri
Projeto do cardápio e serviço: Vivah Gastronomia
Identidade Visual: Renato Bedore
Cabelo e maquiagem: Sandro Augusto LS
Vestido de noiva: Costureira Dulce (16) 3617-4908
Jóias da Noiva: Elemento Sutil
Sapato da noiva: Luz da Lua
Costume Noivo: Crawford
Colete e Gravata: Espaço Uomo (16) 3234-7544
Camisa: Camisaria Javelle
Pão de Mel: Empório Camassutti
Enfeites e lembrancinhas: Emilia Pedrão Hermanson
Chopp: Cervejaria Invicta e DUM Cervejaria
Espumantes: Vinícola Franco Italiano
Música: K2 Eventos
Pocket Show de Blues: Gika Bacci



Comente pelo Facebook:

Ou comente por aqui

bem-casados bolo brindes buffet buque colorido cabelo e maquiagem casamento classico casamento colorido casamento de dia casamento noite casamento no verão casamento real casamento rústico casamentos reais casamento vintage casoriomarceloefernanda cerimonial chalkboard decoração decoração dia decoração verde dicas diy doces ensaio estética evento de noivas feira de noivas fornecedores fotografia lembranças lousinha lua de mel luzinhas madrinhas padronizadas maquiagem noiva música noivado organizando casamento pre-wedding publieditorial roselia lima tendência decoração casamento vestido vestido de noiva

Noivas De Ribeirão Preto • todos os direitos reservados © 2019 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por